Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Comunicação > Notícias - InforMMA
Início do conteúdo da página
 
Sexta, 04 Maio 2018 19:00

Água Doce investe 13 milhões no Piauí

Francisco Leal/CCom/PI
Encontro do PAD no Piauí

Meta do programa do MMA é implantar 67 sistemas de dessalinização em 12 municípios do estado, beneficiando 26 mil famílias.


Brasília (04/05/2018) – O Programa Água Doce (PAD) no Piauí vai receber investimentos de R$ 13,2 milhões. O governador do estado, Wellington Dias, confirmou, durante o II Encontro Estadual do programa, encerrado nesta sexta-feira, em Teresina, que já dispõe dos recursos em caixa. A verba é oriunda de convênio assinado com o Ministério do Meio Ambiente (MMA).

Do total, R$ 11,8 milhões são referentes ao repasse do MMA e R$ 1,3 milhão à contrapartida do governo do estado. Os recursos serão investidos na aquisição de equipamentos, obras físicas de construção dos sistemas de dessalinização e na capacitação dos operadores, que serão escolhidos pelas comunidades.

Coordenado nacionalmente pelo MMA, o Programa Água Doce abrange os nove estados do Nordeste e Minas Gerais. Produz água de qualidade para o consumo humano no semiárido brasileiro por meio da dessalinização de águas subterrâneas extraídas de poços profundos.

Segundo o coordenador nacional do programa, Renato Saraiva Ferreira, que também é diretor do Departamento de Revitalização de Bacias Hidrográfica e Acesso à Agua do MMA, já foram construídos 18 sistemas de dessalinização no Piauí, beneficiando mais de 600 famílias.

A meta, nesta primeira etapa, ainda de acordo com o coordenador nacional, é implantar, ao todo, 67 sistemas de dessalinização em 12 municípios, beneficiando aproximadamente 26 mil famílias.

IMPLEMENTAÇÃO

O encontro reuniu integrantes das coordenações nacional e estadual do programa, prefeitos, secretários municipais de saúde e educação, além de representantes das comunidades atendidas pelos sistemas de dessalinização em funcionamento e os que estão em obras.

Durante o evento, foram discutidas questões relacionadas à implementação do programa, como mobilização social, dessalinização, obras civis e sustentabilidade ambiental. Foram feitos ainda esclarecimentos sobre o acordo de gestão, horários de funcionamento e cadastros das famílias, entre outros assuntos.

Uma das preocupações dos gestores é aproximar o Água Doce dos setores de saúde e educação dos municípios. A ideia é que professores e agentes de saúde tornem-se multiplicadores do programa, que repassaria também água de qualidade para escolas e postos de saúde.

Para o governador Wellington Dias, a parceria do governo do Estado com o Ministério do Meio Ambiente, por meio do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Piauí (Emater) e Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR), tem sido próspera.

Segundo ele, dos 12 municípios que integram a primeira fase do programa, cinco estão sendo atendidos total ou parcialmente. Os outros sete começarão a ser beneficiados até o segundo semestre com a conclusão das obras, ações, equipamentos, qualificações e treinamento para o uso adequado dos sistemas.

Ainda segundo o governador, estão em funcionamento sistemas de dessalinização em Betânia do Piauí, Campo Alegre do Fidalgo. Em São Francisco do Piauí, Lagoa do Barro e Vila Nova os sistemas estão em fase de conclusão.

PARCERIA

Para o coordenador estadual do Programa Água Doce, Adalberto Nascimento, o encontro foi importante para capacitar todos os operadores dos sistemas, bem como para concretizar a parceria com as prefeituras municipais, incluindo as secretarias de saúde e educação.

"A partir de agora, os sistemas passarão a abastecer as unidades de saúde e as escolas municipais com água de qualidade. Isto é uma novidade que pretendemos implantar a partir deste encontro", afirmou ele.

O diretor-geral do Emater, Marcos Vinícius, destacou a parceria do programa com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), que permite que duas comunidades em Betânia e uma em Campo Alegre do Fidalgo sejam contempladas com planos de negócios voltado para a produção.

 

Por: Ascom/MMA com informações da Coordenadoria de Comunicação Social do Governo do Piauí (CCOM)


Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA)
(61) 2028-1227/ 1311/ 1437
imprensa@mma.gov.br



Fim do conteúdo da página